Publicado: 20 de setembro de 2014 em:

Ser Natural

A musculação pra mim foi e é muito mais que uma prática isolada. Sempre foi e continua sendo uma válvula de escape. Ela salvou a minha vida com certeza. Se não fosse a musculação Deus sabe onde e como eu estaria agora. Com tantos problemas e tantas dificuldades, poder me superar e melhorar minha percepção de mim mesmo com exercícios resistidos com pesos foi uma de minhas maiores superações.
 
Sempre pensei em superação em relação a esse espore. Sem atalhos, sem otimizadores. Pra mim o importante sempre foi o caminho, o longo caminho árduo e penoso construído com cargas pesadas, sacrifício e flagelação. A auto punição, a abdicação pra mim sempre foram os instrumentos para a consagração. Superar-se em uma zona de conforto não é superação. É comodismo.
 
Por muitas e muitas vezes pensei e até mesmo fui induzido a escolher o caminho mais curto. No fundo sabia que esse caminho não levaria a consagração, mas sim a satisfação momentânea. É o que sempre disse na minha jornada. Satisfação momentânea é algo fugaz. Que se perde um dia. Passageiro. Pra mim o esporte é e sempre será algo a ser levado para a vida toda, com saúde. Não títulos ou competição extrema. Pra mim é um estilo de vida acima de qualquer coisa. Acima de um troféu de plástico, acima do reconhecimento alheio. Não é preciso estar em um palco mal estruturado pra ser um atleta. Não é preciso estuprar seu corpo.

Entendam, digo e repito e repito e repito. Meus ídolos, a maioria deles, não pensa como eu. É a máxima do “Viver muito como um rei, ou pouco como um Zé?”. Eu prefiro ser o Zé. Um Zé saudável e um Zé que faz o que ama com a satisfação de deitar na cama de noite e saber que deu seu máximo, sem desculpas, sem artifícios, sem catalizadores.

Não penso que um dia poderia me arrepender de não ter optado por poder ser mais a qualquer custo. Talvez haja, e digo de coração uma forma realmente saudável, com mínimos colaterais de se fazer isso. Mas pra mim, trata-se muito mais do que somente ser o maior. Não acredito que alguém com mais de 120kg em off ou mesmo 100kg para uma estatura baixa possa ter longevidade somente pelo fato do trabalho extremo que o coração tem pra bombear todo o sangue para o corpo.
 
Quero ser o melhor que posso ser dentro do melhor que posso conseguir. Apenas com o que tenho a certeza que não irá modificar meu eixo hormonal. Existem vários outros fármacos que penso que, se não são necessários pra mim, não preciso usar. A maioria deles é para tratar doenças específicas. Não tenho asma ou doenças respiratórias, pra que diabos iria usar broncodilatadores?! Pra mim é uma questão de lógica e bom senso.
 
Muito fala-se sobre a questão “O que é ser natural”. Ser natural não é não comer produtos industrializados, ser natural não é não tomar whey protein. Ser natural não é não usar medicamentos para certas patologias. Ser natural é não usar o que você não precisa.
 

Simples. Existem substância banidas. Existem fármacos proibidos e fármacos não proibidos. Existem ergogênicos criados para melhorar a performance, e existem fármacos criados para outros fins que utiliza-se para performance. Ainda existem substâncias proibidas, mas que, dependendo da condição clínica do atleta, pode ser utilizada com moderação.

Existem regras e padrões para isso. Não é algo aleatório. Existem estudos e comissões de doping. Sei que em todos os esportes existe o doping. Sei que existem os que burlam o doping. Mas isso não é impeditivo para que eu faça o que escolhi fazer. Pois, como disse anteriormente, não se trata de competição. “Fulano está usando, então terei que usar”. Trata-se de uma escolha pessoal e de um estilo de vida acima de tudo. Repito:

EU OPTEI POR SER O MELHOR QUE POSSO SER.

 
Eu costumo filtrar o que a ciência nos trás. E isso é outra coisa lógica. Caseína hidrolizada, com absorção mais rápida, absorvida mais rápida pelo intestino por importadores de peptídeos. Ok. Avanço, coisa boa. Agora, “inibidores de miostatina”: Como vou inibir um gene específico por suplementos? Mesmo que isso venha a ser verdade um dia é algo que não irei utilizar. Não é um otimizador, é um “transformador”.
 
Em minha opinião existem substâncias ‘mutagênicas’, e substâncias ‘ergogênicas’. Existem ergogênicos lícitos e ergogênicos ilícitos. Óbvio que existem coisas que não podemos fugir. Fazer um raio-x quando precisamos, uma tomografia, um diurético em caso de hipertensão. Mas tudo isso são casos extremos e isolados, que são essenciais para a saúde, por via de um método não saudável. Não é algo que fazemos por vontade própria. Com intuitos estéticos apenas. É algo necessário para a saúde naquele momento.
 

Até mesmo os esteróides anabolizantes podem ser necessários para a sua saúde em algum momento, e isso é óbvio. Digamos que você queime 90% do seu corpo, que você contraia uma doença que afete sua imunidade ou mesmo que você tenha uma sarcopenia severa seja lá por qual motivo. Isso é óbvio. Existem para patologias, mas não para pessoas saudáveis. O argumento de que, se os esteróides são para doentes, então não temos problemas ao usá-los é uma grande baboseira. Se assim fosse, não teríamos problemas ao tomar um antirretroviral (coquetel para AIDS) constantemente. Ou duas vezes por ano, como é de costume ao realizar ciclos com EA´s. Você toma? Acho que não, somente caso seja extremamente necessário ao entrar em contato com a doença.

Entendam, medicamentos são para doentes. Se você está saudável, com a testosterona regular, por que utilizar testosterona? Para mim faz tanto sentido quanto utilizar remédios para calvície sem ser careca. Ter os efeitos colaterais sem necessitar da medicação.

Você pode aumentar sua performance e massa muscular ao seu máximo limite sem otimizadores, apenas com treino, dieta e descanso de forma inteligente. O grande problema é o imediatismo. Resultados rápidos e pouco duradores, alcançar um patamar que não se está preparado, e logo se lesionar por não ter preparado as junturas anteriormente é uma grande estupidez. Sua força vai aumentar? Sim vai. Mas em tão pouco tempo que ligamentos e tendões não estarão fortes os suficiente para suportar as cargas.

Eu treino há quase 13 anos, e posso dizer que progredi minhas cargas ao longo desse tempo chegando a carga que poucos conseguem utilizar nos treinos. Quem já treinou comigo sabe disso. As lesões que tive, decorrentes de teimosia e excesso de treino, nunca me impediram de treinar por mais de 15 dias. Sempre consegui contorná-las, com técnica e estudo. Lesões ocorrem, não me interpretem mal, mas não devem ocorrer pela falta de preparo ao pular degraus. Existem lesões que podem te afastar do esporte para sempre, apenas por ter uma capacidade que não consegue ser suportada. E do que adianta ser força somente quando se está ‘on gear’. Isso não é força real. É ilusão.

Progredir nesse maravilhoso e complexo esporte é algo que requer paciência, persistência e penitência, como diria o falecido Zé Gatão, que Deus o tenha. De nada adianta aparentar uma força que não se tem. De nada adianta querer chegar ao topo, sem pisar nos primeiros degraus. Vejo jovens de 15, 16 anos, homens e mulheres, somente pensando na estética da coisa, se lesionando, ficando doente e alienado na mídia que o esporte está tendo. Achando que dieta é somente frango e batata doce. Com técnica de execução parca e pouco entendimento da filosofia e da beleza do fisiculturismo. É o que sempre digo:

“As drogas de performance viraram as novas droga recreacionais.” – Gabriel Ortiz

Gabriel Ortiz

Gabriel Ortiz, bodybuilder natural lifetime, ou seja, nunca utilizou esteróides anabolizantes. Formado em Educação Física, atua como treinador em Brasília, já preparou e prepara vários atletas naturais, inclusive premiados com o título de profissional 'Pro Card' pela ANBF em Dez/16 nos Estados Unidos - FL. Redator e colunista desde 2006, cunhou o termo "Preconceito Muscular".

Deixe um comentário

2 Comentários em "Ser Natural"

Notify of
avatar
Anônimo
Visitante

Gostei muito do texto!!!

Uma piadinha > Parece que o texto foi feito pra mim :-)))) Como ce sabe tanto rsrsrsrsrr

Eduardo, Contra a Vigilância Não-Autorizada (CONTRA)

Simplesmente zizi
Visitante

Coerente. Em resumo, ser feliz é fazer o que se gosta. É estar bem consigo.
Adorei o texto

wpDiscuz